Autor: Fernando de Padua Laurentino - Butantã II - USP - Turma D

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

22- A Questão de Gênero no Cotidiano Escolar



A mulher e a mídia

Recentemente, em mais de uma sala de aula de ensino médio, levei a discussão sobre a questão que se criou entre especialistas da condição feminina e os responsáveis pela campanha das lingeries da marca Hope.

O debate foi sobre um comercial que apresenta a modelo Gisele Bündchen mostrando a "melhor maneira" de contar más notícias ao marido.
Primeiro, Gisele aparece usando roupas normais para falar, por exemplo, que bateu o carro. A estratégia é classificada como "errada" e em seguida a forma "correta" é mostrada: a modelo repete a notícia, usando apenas lingerie. "Você é brasileira, use seu charme".

Algumas questões colocadas para a sala:

- O comercial reforça a ideia da mulher como objeto sexual?
- Homens também são usados como objeto sexual? Como?
- Até que ponto uma campanha publicitária pode reforçar (pré)conceitos e valores?
- Se o comercial reforça a ideia da mulher como objeto sexual é legítimo proibí-lo?

O debate foi intenso. Posições contrárias dentro do grupo de meninos e do grupo de meninas. De qualquer forma o debate foi produtivo. As argumentações, mais que possíveis conclusões, enriqueceram a questão da condição feminina explorada pela mídia.
Acredito que a mídia fornece muito material para se trabalhar a questão de gênero e sexualidade. E é possível relacionar o que é reproduzido na mídia com o cotidiano escolar. A partir da discussão relatada acima discutimos como tais discursos reproduzidos na mídia reproduzimos na escola.

Nenhum comentário:

Postar um comentário